Aos dias que são (não deveriam ser todos?)

Hoje faz um calor calmo, o ar corre plácido na cara… abraça-me, faz-me amor. O piano palpita-me o sangue que trepida o que ouve… e o sol rompe-me a pele, as mãos e dos dedos… Há uma beleza qualquer cósmica aqui, hoje. Agora. Uma coisa qualquer que respiro fundo. Que ama tudo. Ao mesmo tempo.

Os dias devem ser assim. Bonitos, plácidos, sem que tenhamos de lhes perguntar porquê… O sol embala-me… afaga-me o cabelo, beija-me o sorriso e diz-me que tudo está onde, como deve estar. Há uma presença qualquer divina que me beija nos dias assim. Nos dias que são. Sem perguntas.

A minha pele brilha mais… só porque a olho mais. Para amar as coisas.

As viagens, no regresso, têm sempre o dom de me fazer pensar, de me fazer ver o fresco da vida e ver o que já não quero mais na pintura que faço dos dias… ou que aguarela quero nova. Há uma confusão cósmica que tem de vir, que tem de ser. Há qualquer coisa que me pulsa nos dedos, nas palmas das mãos… que me pede coisas que não consigo ouvir.

Mas amo os dias assim… os dias que são… que me pedem que os viva, sem esperar nada, sem fazer perguntas.

#ElasDoAvesso

elas do avesso dias

Partilhar
0

3 thoughts on “Aos dias que são (não deveriam ser todos?)

  1. Manuela araujo says:

    Olá Boa tarde,quero parabenizála,por este excelente blogue e pelos temas que nele escreve,pela paixão e entrega que tem pela escrita dos mesmos ,bem assim do seu gosto de obter cada vez mais interesse e conhecimento de novas formas de estudo.
    Desejo-lhe muitas felicidades e muito sucesso no seu futuro!

    o meu muito obrigada e beijinhos!

  2. Judy says:

    9 juillet 2012This design is incredible! You definitely know how to keep a reader amused. Between your wit and your videos, I was almost moved to start my own blog (well, als#8t&om230;HaHa!) Excellent job. I really enjoyed what you had to say, and more than that, how you presented it. Too cool!  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *