Inevitavelmente Poesia I

A inteireza das coisas que o Cosmos me promete

Tudo é tão frágil na foice do tempo

É só deixar de olhar que tudo cede

[ A Hades, à verdade que suspendo

É tudo tão quebrável

[ Tão esgotado de tudo

Falta-me a verdade do Céu

Falta-me ceifar

[ Ceifar tudo o que me separa

Falta-me rasgar o véu e ver a ponte

[ Olhá-la

Sentir os pés a tremer

Sentir o vento que me beija

[ O Deus que não me foge mais

Ou eu não fujo mais dele

Agarrar-me às cordas de que já não preciso

Pisar as tábuas

[ Descalça e a sangrar

Para chegar a mim

Para chegar a quem me prometi

A promessa espera por mim

[ Invencível

Transparente também

Nua de tudo

Nua dos homens e dos olhos na cela

A promessa de mim espera-me na luz

[ No que é mais translúcido de mim

Tão bonito que é

E eu ainda não vi.

#ElasDoAvesso

P.S.: PARTILHA, POR FAVOR:) AJUDA-NOS A CRESCER #ELAS, NÓS TODAS AGRADECEMOS MUITO 🙂 OBRIGADA POR ESTARES CONNOSCO!

P.S.2: AH! SE PUDER SER, COM A HASHTAG #ELASDOAVESSO QUE NÓS SOMOS BUÉ MODERNAS

RECEBE A NEWSLETTER D‘ELAS DO AVESSO AQUI

Partilhar
0

One thought on “Inevitavelmente Poesia I

  1. Janeece says:

    How about donating it on the Studebaker National Museum in South Bend, IN where it absolutely was created? You could potentially contact Andy Beckman at 888-391-5600. In any other case, deliver it to South Bend during the month of July 29 by way of Aug 4 in the event the Studebaker Dr7v;r&#821ies Club International meet will be in town.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *