Quedas elétricas e bossa púrpura

Está frio. O Porto começa a pintar-se de cinzento, do cinzento que ele, às vezes, também é, nas paredes, no ar e nas pedras.

É o vento agora que escolhe as páginas que leio, no livro que deixo na mesa, enquanto escrevo e o vinho dança elétrico, impaciente, na bossa da caneta que nos conta. E há brilhos improváveis no púrpura velho, que se mistura agora com o vidro, o batom e a “anima” das coisas. 

Os lábios desenhados a vermelho sempre me parecem uma coroa a beijar o copo.

O vento descobre-me o corpo, que ainda não aceitou que o verão chegou ao fim. Tenho frio.

As vozes são mais nítidas no fim do verão. E de tudo o que nos acaba. Aparecem como um sussurro, uma surdina de vozes intercecionadas nas vielas que nos cruzam, a nós, às vontades e àquilo tudo a que filósofos sem alma chamaram de interioridade mental. 

Agora ouvem-se mais o espanhol e o português. Os ingleses sempre vão embora no fim do verão. Não aceitam que nos pareçamos com eles e com o frio branco e insensato do mundo de cima, tão despedido das alturas, às vezes – vezes de mais.

Setembro é o começo do ano. É o tempo das quedas elétricas, sem bossa que as salve.

Tudo cai para que nos renasça depois, numa primavera que ainda não sabemos. As rodas arranham o chão e os trolleys voltam aos metros e aos aeroportos, despedidos agora, curiosos e, às vezes, com medo. Temos sempre medo de crescer. Achamos que não somos capazes. Por isso é tão difícil despedir o verão, setembro e tudo o que não serve mais.

E há algo que, no meio disto que acaba, é contente em mim. Não é por mal. Mas gosto. De deixar as sandálias e de as trocar por sapatos que não vi. De ir descalça. Do Porto invernoso, do cinzento quebrado pelos cigarros à porta dos cafés; do silêncio reverente do inverno no Porto.

Do silêncio do que acaba, do começo que toca e que eu só ainda não consegui ouvir – mas ele não precisa que o saiba, para vir. Ele sabe que tem de vir. E eu, se quiser, que abra os braços.

#ElasDoAvesso

P.S.: PARTILHA, POR FAVOR:) AJUDA-NOS A CRESCER #ELAS, NÓS TODAS AGRADECEMOS MUITO 🙂 OBRIGADA POR ESTARES CONNOSCO!

P.S.2: AH! SE PUDER SER, COM A HASHTAG #ELASDOAVESSO QUE NÓS SOMOS BUÉ MODERNAS

RECEBE A NEWSLETTER D‘ELAS DO AVESSO AQUI

 

 

 

Partilhar
0

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *