Quando eu demoro a chegar aos lugares

Quando eu demoro a chegar aos lugares…

Tenho isto de dançar comigo e com o ar… tenho isto de sorrir ao ar… de me rir para ele… porque ele olha para mim… de rir para as flores e para os pássaros que brincam… porque eles brincam, os pássaros…

Tenho isto de não saber não me deslumbrar… isto de saber fraquejar… dar as mãos e o corpo à Terra… vencer o mundo…

Isto de me deslumbrar conta mais do que a hora do trabalho… deslumbrar passa.

E é como se fossem esmeraldas no céu, não sei…

É um verde que nunca mais acaba (porque ele vem de onde as coisas nunca acabam… tão-pouco duram… de onde as coisas são a Ser e isso basta)… que me lembra de quem eu Sou…

As flores estão bonitas hoje… rebentam o amarelo e o lilás na terra… e eu já não consigo não ser…

Apetece-me apertar a terra… senti-la nos dedos… fundir-lhe as unhas na terra… ela ama-me tanto, a Terra…

 

Para receberes o livro «Elas do Avesso», clica no botão abaixo 🙂

Recebe o novo livro «Elas do Avesso»

recebe-me, a mim e a «Elas», em casa

P.S.2: POR FAVOR, FAZ PARTILHA PÚBLICA COM A HASHTAG #ELASDOAVESSO.

RECEBE A NEWSLETTER D‘ELAS DO AVESSO AQUI

Partilhar
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *