Sou fácil como uma asa

Quando me perguntavam o que eu queria ser… Eu sempre quis ser livre… Não depender de ninguém, nem de ideias fixas… Que o amor não me prendesse… Não sabia que o amor não prende… O que prende é o medo… O medo de não ter…

Sempre quis ser livre… Além do dinheiro, dos cargos, das profissões… Mudo de profissão várias vezes ao dia e tenho por fim ajudar pessoas… Falo de Pessoa, de Kant, Vergílio e Epicuro… Depois falo de milagres, falo de paz e guio o melhor que me deixo ser guiada… Falo de paz, de amor e ensino o Amor… Mesmo que não o saiba… Hoje, terminei o dia a falar de Reis e aforismos… Amanhã, vou falar de um livro… Depois não sei…

Sei que quero ser livre… Que é esse o propósito… Ser livre de Ser… Porque o que eu Sou é fácil… Mas eu questiono… Questiono se é bom… Na arrogância de questionar o universo, o Deus que me habita, como se ele se tivesse enganado e eu tivesse melhores planos para mim….quero ser livre. Só isso. O resto vem.

Não tenho profissão certa… Nem sei isso de ser sempre a mesma… Não sou… Nem sei quem sou… Como poderia ser a mesma? Sei que sou livre… De Ser quem eu Sou… E que me deito bem… De cada vez que Sou mais um bocadinho. Faça eu o que fizer, o que importa é que fui livre.

Hoje não me apeteceu dormir com ninguém… Nem me apeteceu partilhar… Cansei-me de ser a mulher… Hoje vim ser a poetisa… longe… comigo… sem vozes… cheia de vozes em mim… a Clipsera, a Clepsidra e outra que não conheço… que emerge e eu gosto dela… É a que manda nisto tudo… É a que me sossega o verde do peito. E acho que sou livre. Ao fim do dia… Foi isso que contou.

#ElasDoAvesso

Márcia Augusto

recebe-me, a mim e ao livro «Ela do Avesso», em casa

Recebe o novo livro «Elas do Avesso»

P.S.2: POR FAVOR, FAZ PARTILHA PÚBLICA COM A HASHTAG #ELASDOAVESSO.

RECEBE A NEWSLETTER D‘ELAS DO AVESSO AQUI

Márcia Augusto (sou fácil como uma asa)

Márcia Augusto (sou fácil como uma asa)

Partilhar
0

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *