Perdão, Vergílio e Barbies na Descrição

Toda a gente sabe que eu deixei de brincar com barbies bastante cedo e houve momentos em que achei que eram deformadas, por causa dos joelhos e das mamas que fazem lembrar piões de brincar no cimento. Durante 26 anos, tentei esconder quem era e fingir que pensava como os outros. Depois, e de cada vez que me descubro, me ponho ao léu mesmo, percebo que toda a gente pensa bem perto de mim, afinal. Só não mostra. Porque valem mais o “Like” e a sombra do que a leveza de quem São. 

Agora o vídeo.

Sobre essa figura-mito chamada Perdão. A arrancar com o mestre Vergílio e esse desassossegar da Consciência chamado “Aparição”. Nota sobre a autora, o cenário e convicções de quem acha que o Marketing não manda na gente: este vídeo, como muitos outros que tenho vindo a publicar, é, também, um convite à desconstrução do mundo cor-de-rosa que nos esforçamos por manter mesmo na Internet… com tudo a acontecer, tecnologias de #lives e afins, continuamos a querer aparecer bonitos e em frames construídos, de paredes brancas ou cadeiras enfeitadas… a tendência continua… corações secos e mentes de vime a ostentar peles #vuitton. Este vídeo é um abrir de portas à Consciência, ao poder da Consciência, que a Internet pode trazer… a transparência… sem filtros, sem arranjinhos de fundo… É, no fim, e uma vez que estamos numa rede social (com potencial de gente a ser), um convite a… abre-me as portas de tua casa, abre-me as portas de quem és… não de quem tu achas que tens de ser, de quem tu achas que tens de parecer ou assemelhar-te. Sê… porque o Universo não se enganou quando te fez desarrumado, “frágil” ou sujeito a vulnerabilidades. Sê.

 

Márcia Augusto

 


Subscreve o meu canal no Youtube

Ah! Partilha este texto e conhece o livro “Elas do Avesso” aqui

Partilhar
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *