Funde-me

(In Inevitavelmente Poesia)

Funde-me

Escancara-me

Bate-me com força.

Meio entra.

Entra agora.

E sai, sem saíres de facto.

Num despertar de borboleta

Eu sou

Já me vou

Deixo-te as escamas

Sereia encantada

Do que nunca fui

Lençol emaranhado

Unhas nas cortinas

Sol que nasce

E agora eu sou

 

Rasga-me a pele

Conhece-me a chama

O mau odor

O fel e o peito a pulsar

A pureza dos olhos

E o cabelo na tua boca

Sejas.

Funde-me assim

No ferro e na terra.

Funde-me.

Uma só nesse bicho líquido

Penetrável

Impenetrável de facto

Funde-me.

No lençol áspero

Nos ossos a ranger da tua cama

Funde-me.

Faz-me desaparecer no teto da tua casa

Para que eu vá suspensa.

Dada nos ossos

Já não sei quem sou

 

A poesia escreve-se à noite

Porque não sabemos quem escreve

À noite perdemos o controlo

É por isso que eles escrevem de noite

Nos lençóis que não são teus

E que eles não querem

Escrever, não isto, não agora.

#ElasDoAvesso

Márcia Augusto

Para receberes os meus livros, instruções abaixo. 🙂

Elas do Avesso Vol. I (formato físico, enviado diretamente por mim para tua casa) – 14€

Elas do Avesso Vol. II (formato digital, diretamente para o teu e-mail) – 10€

Clipsera (romance, formato digital) – 10€

Inevitavelmente Poesia – 3€

Cartas de Amor a J – 5€

NIB para transferência abaixo. Envio de comprovativo para o e-mail marciaiares.crestina@gmail.com ou ainda para o whatsapp (+351915628413).

NIB: 0046 0160 00600202917 42

IBAN: PT50 0046 0160 0060 0202 9174 2 

SUBSCREVE O CANAL NO YOUTUBE

 

Das janelas (Márcia Augusto. Fotografia de João Ferreira)

Partilhar
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *