Poesia de marquise e um arco-íris na cafeteira

In #PoesiaDeCordel

(porque ser de marquise não significa que não tenha a finura de pertencer ao cordel)

Às vezes, acuso-me de melancólica demais, viva demais, sentimental demais, capaz e procuradora da dor do outro para me unir à dele e senti-la. Vamos sentir juntos. Como se a que nos cabe não chegasse. Não chegasse para sentir esta unidade toda. Mas depois, depois é isto que me faz procurar o silêncio de uma cafeteira de ferro e um arco-íris sem espuma, na água do espelho. A beleza, a beleza está em todos os lugares. É só preciso saber olhar ou deixar que olhem por nós.

#ElasDoAvesso

Partilhar
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *