Um texto é como um beijo na boca

Tanta dúvida,

Tantos oráculos,

Para quê?

Afinal, olho para os livros como quem olha para o primeiro amor

(compasso de tempo, sai-se do autocarro)

Só há impossíveis onde não há amor.

(a meio das escadas, atiram-se a mochila e os casacos)

Escreve-se um texto

Como não se adia

Um beijo na boca

Tem de ser agora

#ElasDoAvesso

Partilhar
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *