A voz

A voz

A voz cala quando eu me reprimo,

Me afasto, quando não sei quem sou

Ou me cedo a ideais

(cheira a rosas, quando sou e me decido; na transcrição)

É injusto chamar-lhe de voz

É uma sensação de totalidade

É um estar bem

É um olhar que compreende sem compreender

Sem a mente

#ElasDoAvesso

 

(Vídeos: tudo isto é experimental, mas eu preciso de mexer na terra, para quando o tesouro aparece. Está “mal” articulado, mas é assim que me sai. Criança curada, frenética que não cala, sem articulação. Voz)

Partilhar
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *