Diários do Avesso II (excertos)

I

“Pões a minha líbido a saltar com as tuas palavras, quando me dizes que me amas sem dizeres que me amas. A forma mais assertiva do amor, amar sem dizer
amo te‘s vazios e depois há as tuas mensagens
Assim. Dessa forma. Sem nada que as salve, sem ensaio prévio. Tu, sábio a ser. Só tu.”

II

“um leão que traz plantas na boca.”

III

“quero copos assim. ou talvez queira momentos assim. em que roo os lábios por um copo
talvez a vida seja isso.
um copo
talvez a vida seja isto. morder um copo nos lábios e sorrir com os olhos , tropeçar numa cadeira, perder a noção do espaço. talvez

a minha função é a arte”

«Copos Assim

III

“Não há força maior do que o amor neste mundo. As pessoas pensam que é o dinheiro, mas não é. Se as pessoas soubessem o poder do amor, apressavam-se a amar umas às outras. Não há energia tão forte como esta. O amor traz tudo , compra casas e dá filhos. (ou) O amor não compra porque, não faz relações de valor. O amor dá. O amor traz tudo. É por isso que sei que estou segura. Quando sou amor, posso tudo. Como agora. Venha vida (…) que o espetáculo comece”

«Vida

Há qualquer coisa nas minhas ancas que me comunica decisões.
«dança do ventre

IV

“o que é a Amazónia perto do que eu sinto? o que pode a Amazónia se eu posso amar e se eles cabem (couberem) no meu peito? o que pode a Amazónia se eu posso ir lá e levà-los no peito e no coração?”
«Amor e o Dinheiro

#ElasDoAvesso

#EnsaiosSemSaber

Partilhar
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *