De uma leoa e de um leão

O sexo sempre me lembra que há amor aqui. Porque ele cessa quando eu não perdoo. Parece-me óbvio que sexo é amor.

Então, deixa queimar.

Quem deixa de amar é o ego. Quem magoa é o ego. Ardo por ti, pelos teus olhos verdes e por tudo o que é teu. Dói-me não seres meu como eu gostaria… útero de mim… útero de ti. Asas na barriga. Pudesse ser tudo como é, quando Te amo.

Meu amor,

«Pássaros na rua que voam

É para lá que eu vou

“És minha rainha. Esse amor voa, voa, voa.

Sou tua, só tua.

Leoa,

A sesta. Almada Negreiros

A Sesta. Almada Negreiros

Partilhar
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *