E se as crianças quisessem todas ser bailarinas?

Este texto é desencadeado pelo desafio do meu amigo Carlos Rocha, fundador do Economia Social Portugal. O objetivo do Carlos é despertar discussão, capaz de gerar mudança. Para tanto, chamou a incendiária que eu sou para escrever sobre temas que versem preocupações sociais, despoletem reflexão e, quanto a mim, descrença… é disso que o mundo precisa, que deixemos de acreditar nele, no que ele nos conta… este é o primeiro texto produzido no âmbito desta parceria… ele pediu-me um post, mas eu escrevi 2125 palavras… não consegui parar. Quem me conhece, sabe que eu sou uma descontrolada. E depois? Deixo-vos o texto. Conheçam o projeto do Carlos, gostem da página e partilhem! O Carlos é este “moço“. 😉 Obrigada e, se se identificarem, partilhem o texto!

Bom, como começar uma crónica? É a primeira vez que eu escrevo, porque alguém me pede para escrever sobre alguma coisa… então, eu não sei… e bem ao jeito biográfico do “Elas do Avesso”, eu começo por partilhar convosco as minhas inquietações e o início deste texto.

Continue reading

Partilhar
error0

A mentira sobre a Crucificação e a Manipulação da “Cruz de Cristo”

Aqui fica o podcast da rubrica «Espaço do Avesso», assegurado por mim, Márcia Augusto, na rádio Barca FM. O jornalisto é o Nuno Cardoso e este tema dá-me sempre um gozo enorme, pelo espectro da tríade Filosofia | Religião | Política aplicada à manipulação das massas. Espero que gostem.  Partilhem, por favor!

E ajudem o meu canal a crescer aqui. Continue reading

Partilhar
error0

«Em Tudo Eu Entrei Para Falhar» na Vice Portugal

Hoje, é um dia histórico para mim… um dia em que um texto puramente essencialista do #ElasDoAvesso sai numa revista multinacional, pelas mãos do meu querido Sérgio Felizardo que os e-mails uniram logo no início do ano… Obrigada ao Sérgio, obrigada à Vice… por me receberem sem padrões, sem ajustes… sem edições nem cortes… por eu poder ser Quem eu sou… Obrigada pela ousadia editorial. Obrigada. Continue reading

Partilhar
error0

Sobre me ser

Tenho sempre um apelo natural pela água… vejo água e os meus olhos querem entrar. O meu corpo todo quer entrar, porque os olhos não chegam para ver tanto… para ser tanto como eu sou, quando vejo água.

E o sol é como constelações desenhadas, numa impressão celeste, quase real.. estrelas a ditar a valsa dos meus olhos, prontas a impressionar-me, impacientes para serem notadas… como se precisassem. Continue reading

Partilhar
error0

Das Manchetes do Medo e Dos Olhos de Amor

Vamos falar sobre um tema caríssimo à atualidade, pelo menos na semana passada… O Jovem Agredido em Gondomar. 

A notícia onde este texto começou… Depois, muita coisa aconteceu… Não com a notícia, isso não me interessa. Com o texto. Mas isso fica para depois.

Comecemos, pois, com o “jovem agredido”… Desde logo, notando os termos delicadamente escolhidos para falar sobre o jovem, como se falássemos de um vaso, de uma peça de decoração, de um ornamento vão, que se partiu. Continue reading

Partilhar
error0