Canção do Batom Vermelho

Hoje, eu passei batom vermelho, daquele que tu gostas e disse-me sim. Espero que estejas contente comigo como eu estou. Hoje, eu passei batom vermelho e disse não ao mundo. Disse-lhe que ele não manda mais em mim. Disse sim, pintei os pés e o tronco de prateado, como a liberdade, avó, e disse-me sim.

Espero que me ouças. O meu batom é exatamente igual ao teu. Quando o ponho, decido-me como tu, sem saltos e de chinelos, do alto da minha certeza que se chama coração. Hoje, ninguém me vai fazer mal, avó. Hoje, eu sou livre como tu me ensinaste.

Pus a camisa e saí de casa. Levo os papéis como tu me ensinaste e vou.

Hoje, não haverá mais márcia solitária. Também disse que amo. (…) Não sei se isto é real, mas estou a chorar e eu preciso de confiar nas minhas lágrimas. Elas são o mais espontâneo que tenho. Mais do que a gargalhada que aprendi a forçar no mundo. Com ele não, avó. Com esta vida que eu escolhi, não. Até já, céu. Vou decidir à terra convosco.

 

(…) E hoje também pus perfume de coco, daquele que eles dizem que é barato. Hoje, permiti-me ser quem sou. Barata para o mundo, preciosa para mim.

 

#ElasDoAvesso

#AMOR

Partilhar
0