Sobre domar os seus próprios cavalos

Descobri que não meditamos para Deus nos amar mais. Não rezamos para Ele nos amar mais. Oramos para que nos lembremos que Ele nos ama. Sei que não é pelo que eu faço que Ele me ama, mas é pelo que eu Sou. E o que eu sou não muda. Descobri-me como um cavalo, um cavalo que precisa de ser ensinado. Não domado. Pelo amor. Descobri que é o Amor o que eu sou. Que nada nem ninguém pode mudar o que eu sou. Que tudo o que está “fora” é uma condição instantânea de dentro. Posso ver um filme e ser exatamente o mesmo filme que está traçado ver naquela hora. Mas a condição que vê o filme sou eu. Continue reading

Partilhar
0