Monólogos

Sobre  o novo projeto-livro «Monólogos» do #ElasDoAvesso.

«Monólogos» começa no mar, ou talvez nunca tenha começado, porque nunca acabou e sempre foi a forma de eu me expressar… mas tendia a torná-los textos… para as pessoas acharem mais normal, de um nervoso e angustiante fit needing, que eu não quero mais… não quero mais caber, porque a minha missão é precisamente não caber, ficar fora dos lugares, ficar de fora… preciso disso para ser. Ser quem eu Sou. Fora das estruturas. É aí que eu ganho força. Acho que durante 28 anos quis caber. Mesmo quando eu deixei o Marketing, as empresas e as secretárias… eu queria caber, queria ser aceite… hoje, eu não quero mais. Hoje, quero a coisa mais absoluta que eu posso querer… Ser eu. Mais do que isso é capricho. E eu estou farta de caprichos. «Monólogos» não tem pontuação ou subverte-a, também não tem quebra de linha certa… Monólogos é como a Voz fala. E, agora que a encontrei de novo, eu não a posso deixar ir embora, ou simplesmente camuflá-la para ficar bem. Estou farta de ficar bem, de parecer bem. Continue reading

Partilhar
0

Monólogos II

De uma nova série, chamada “Monólogos”. Este é o segundo, mas foi o primeiro que quis transcrever e começa assim:

Recupero a menina de antes

Antes de o mundo me ter partido

Ou antes de eu me ter deixado partir

Navalhar por dentro

Sempre serei, sempre fui, sempre vou ser

A menina que não queria ser nada

Mas que era tudo

A menina que ouvia música a ouvir o mar

Que se recuperava no mar e na areia Continue reading

Partilhar
0