Às vezes (…) Tu

Às vezes

É bom descer assim

Ver a realidade atuar

Deixar que ela seja

A Vontade

Talvez a Vontade opere

No meu nada de desejo

Mesmo que apático

Talvez eu me descubra novo

No novo

Nova.

Talvez

Tu

Que conheces as minhas dores

Virada do avesso e ao contrário

E me amas

Obrigada

 

Talvez a solução seja amar

Amar os “outros”

Talvez aí a gente pegue no leme e resolva

Talvez

 

Tu que me comes o fel e o mel por dentro

Tu que me róis por dentro

Me trituras o clitóris

E me amas

A ti, só a ti

A quem me vê desfeita e me ama por cima

A quem não vê nada que roubar e fica

A ti

Só a ti

Eu amo

#ElasDoAvesso só que com cor, muita cor

 

Partilhar
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *